08/01/2014

Insônia

De repente eu quase entendo tudo isso que está acontecendo. A palavra “tudo” parece exagero, mas esse pouco realmente é tudo. Pouco? Tem certeza, Nicole? Eu não sei…
Me pego pensando porque é que não consigo dormir, e quando consigo porque é que acordo de madrugada e não consigo voltar a dormir?
A resposta parece simples e estava aqui o tempo todo. Não era nada do que eu pensava, não era medo de fantasmas, extraterrestres ou insetos. O problema era eu. O problema sou eu. Como é que vou conseguir dormir se não paro de falar comigo? Eu fecho os olhos e lá estou eu tagarelando um milhão de coisas que nem eu mesma entendo. Eu fecho os olhos e penso em tudo o que pode estar acontecendo no mundo. Eu fecho os olhos e penso em tudo o que pode estar acontecendo ao meu redor. Eu quero saber de tudo, acompanhar tudo, estar em todos os lugares, morar em todos os lugares. Eu quero ser todos aqueles personagens que se inventam, se não dá certo eles reinventam, mas estão sempre buscando uma maneira de encontrar a felicidade. É essa a humanidade, ou melhor, um dos poucos pontos da humanidade que ainda dá pra admirar: a esperança.
Mas é… estávamos falando sobre a minha insônia…

2 thoughts on “Insônia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *